Dentes ausentes na boca têm um impacto não somente estético, mas também funcional e social. Ao extrair um dente, há uma alteração fisiológica na boca, e com isso os outros dentes ainda presentes, mudam de posição. Impedindo que os dentes ainda presentes façam as suas devidas funções. A perda de um dente gera uma força excessiva nos outros dentes, comprometendo a saúde de todos os dentes da boca. Isso pode causar alterações na mastigação, fala e ainda gerar problemas articulares.

Com o procedimento de restauração na área odontológica podemos restabelecer a harmonia estética e funcional do dente que foi atingido por uma cárie, por exemplo. O dentista especializado em dentística-restauradora é o profissional apto para realizar esse método com segurança e competência.

A microscopia na odontologia é a mais nova tecnologia utilizada pelos profissionais, com o objetivo de trazer ao paciente mais dinamismo e eficácia no tratamento. Por permitir ao dentista um aumento de até 40x da região a ser tratada, oferece uma visão ampliada e detalhada do caso. A tecnologia da microscopia em diversas áreas na odontologia como cirurgias, tratamento de canal, restaurações, traz maior segurança nos procedimentos realizados por conferir maior precisão no diagnóstico, efetividade no atendimento e durabilidade no tratamento. Os tratamentos realizados com a microscopia são mais refinados e somente podem ser realizados por profissionais capacitados.

Além disso, uma inovação na odontologia é o Sistema CAD/CAM, que permite a confecção de restaurações protéticas através de um escaneamento intra-oral. O desenho de uma restauração indireta é transferido para um computador, seguido de sua confecção por uma máquina de fresagem que funciona como uma impressora 3D. Retirando a fase laboratorial na confecção dessas restaurações, agilizando o tratamento. Com precisão e qualidade, as peças protéticas são instadas de maneira rápida, trazendo de volta a função e estética de alto padrão desejado pelos pacientes.

Se você acabou de passar por uma cirurgia odontológica de extração dos dentes, cirurgias gengivais ou instalação de implantes dentários, atenção a algumas dicas para um bom pós-operatório.

1) Evite esforços físicos e exposição ao sol, com isso evite que seus vasos sanguíneos se dilatem podendo acarretar em um sangramento espontâneo;

2) Dê preferência por alimentos líquidos e pastosos, com temperatura morna ou fria, os alimentos mais frios acalmam o tecido e aceleram a cicatrização;

3) Repouse o máximo possível e evite falar muito ou afastar os seus lábios para que os pontos da cirurgia não rompam, para que o tecido cicatrize na correta posição sem que haja uma área de tensão;

4) Nos primeiros dois dias é importante evitar escovação e bochechos muito fortes; Tome as medicações nos horários corretos e em caso de qualquer alteração ou dor na região, acione seu dentista.

O laser cirúrgico é mais uma inovação na odontologia onde, ao mesmo tempo em que corta o tecido com um bisturi, provoca coagulação e cicatrização. Isso quer dizer que, nessas cirurgias, não há sangramento, há menos inchaço, e o paciente sente menos desconforto depois da cirurgia. Com isso, os pacientes têm um pós-operatório muito menos doloroso, possibilitando a realização de cirurgias de modo menos invasivo e agressivo, com uma recuperação muito melhor!

A gengivoplastia é um exemplo de cirurgia estética reparadora na gengiva, onde o dentista remove uma quantidade de tecido gengival para aumentar a coroa clínica, e assim aumentar o tamanho dos dentes. Tornando o sorriso mais estético e simétrico. Na cirurgia, o dentista realizará um novo contorno dos dentes, deixando-os mais proporcional de acordo com cada caso. E uma cirurgia simples e de boa recuperação. Pessoas com sorriso gengival, podem ainda associar a gengivoplastia e aplicação de botox, no músculo do sorriso, para que os lábios não sobressaiam a linha do sorriso.

Outro exemplo onde ocorre cirurgia é quando há lábio leoporino ou fenda labial, que é uma alteração congênita. É uma má-formação que envolve tecidos moles e tecidos dos ossos maxilares, podendo ser unilateral ou bilateral e, além disso, a mediana. A alteração é ocasionada por uma falha na formação da parte frontal do nariz e do maxilar durante o desenvolvimento embriológico. O tratamento para a reabilitação das fissuras labiais inicia-se com as cirurgias plásticas primárias, normalmente no início da infância, durante o desenvolvimento da face. A reabilitação destes pequenos pacientes acaba se estendendo até a maturidade, muitas vezes com a necessidade de usar o aparelho ortodôntico. Quanto mais cedo for diagnosticada e tratada mais chances de conseguirmos fechar a fenda com mais qualidade, trazendo a função e estética desejada aos lábios.

Cuide dos seus dentes e visite seu dentista com frequência.