Além da escova e do fio dental, alguns truques simples podem ajudar a ter um sorriso de propaganda. Isso porque, ao cortar da rotina alguns hábitos prejudiciais e incorporar práticas saudáveis, é possível preservar os dentes. Quem ajudar a identificar quem são os amigos e inimigos da saúde bucal é a dentista da Sorridents, Fernanda Lange.

Bochecho: amigo
É importante fazer pelo menos três bochechos diários para que as bactérias que resistiram à escovação mecânica sejam removidas pela ação química do enxágüe bucal. Vale lembrar que esse enxaguante deve ser sem álcool e recomendado pelo dentista. Também vale fazer o bochecho com água antes da escovação para tirar o excesso de restos de comida da boca e evitar o acúmulo nas escovas.

Canudo: amigo
Tomar bebidas ácidas com canudo é uma boa saída para quem tem muita sensibilidade dental com líquidos gelados e quentes e também serve para os que estão em tratamento de clareamento dental, impedindo o contato do liquido com os dentes. Aliás, alimentos ácidos de uma forma geral, como mostarda e cebola, por exemplo, não são os melhores amigos da boca, pois podem danificar o esmalte dos dentes.

Goma de mascar: amigo e inimigo
As versões sem açúcar ajudam a higienizar a boca por meio de sua consistência pegajosa que, com a mastigação repetida, estimula o fluxo salivar. A saliva, por sua vez, neutraliza o pH da boca, o que não deixa o ambiente propício para a proliferação de bactérias. Já os chicletes com açúcar é um alimento cariogênico e deve ser evitado.

Leite: amigo

Colocar leite no café ajuda a diminuir a concentração e a quantidade de pigmentos da bebida. Esse excesso de pigmentação pode manchar os dentes.

Beijo: amigo
Beijar deixa as pessoas mais felizes e assim elas acabam tendo mais estímulo para melhorar o hálito com cuidados de higienização bucal. Além de ser uma das formas de combater o problema da “boca seca”. O beijo estimula as glândulas salivares e aumenta a salivação. A saliva contém água, proteínas e sais minerais, e é fundamental para manter a proteção dos dentes.

Estresse: inimigo
O stress diminui as defesas do organismo que fica mais suscetível a doenças de gengiva. Além disso, ele diminui o fluxo salivar e gera alterações na mucosa bucal.

Refrigerante: inimigo
Os refrigerantes também são muito ácidos para a cavidade bucal e podem causar sensibilidade dental, desmineralização do esmalte dos dentes e até dor.

Maçã, pêra, cenoura: amigas
Os chamados “alimentos detergentes” são bastante fibrosos e colaboram com a limpeza dos dentes devido ao atrito com o alimento.

Palitar os dentes: Inimigo
É comum as pessoas enfiarem o palito entre os dentes, fazendo um tipo de alavanca. Isso acaba comprimindo a papila gengival, o que predispõe a retração óssea e da gengiva, além da possibilidade de criar mobilidade nos dentes.

Morder tampa de caneta: Inimigo
Morder tampas de caneta, ou qualquer outro objeto, leva a erosão dos dentes. As pessoas têm o hábito de morder sempre na mesma região e, com isso, pode ocorrer um desgaste irregular dos dentes. Além disso, a utilização da boca fora do seu contexto normal pode gerar distúrbios articulares, dores no ouvido e nas costas.

Abrir garrafas com os dentes: Inimigo
Esse é um hábito prejudicial, que pode levar à fratura dos dentes. O resultado pode ser uma simples restauração, mas também a necessidade de um implante, dependendo do nível do estrago causado no dente.

Roer as unhas: Inimigo
Essa é a mesma situação que o morder da tampa da caneta. Neste caso, temos ainda mais um agravante. Embaixo das unhas há muito acumulo de resíduos e de bactérias. Além de estragar os dentes e as unhas, esse hábito pode trazer infecções para o organismo.

Tomar café e vinho Substâncias corantes: Inimigo
Podem pigmentar a superfície do esmalte dos dentes, em especial se eles apresentarem alguma irregularidade, pois pequenas partículas podem ficar retidas e se transformar em manchas.

Usar água oxigenada ou bicarbonato para clarear os dentes: Inimigos
Para clarear os dentes, a água oxigenada deve estar em uma concentração muito elevada. Nesta situação, ela passa a ser erosiva para os tecidos gengivais, o que pode gerar ulcerações ou mesmo retração gengival.

Morder balas duras: Inimigo
No caso das balas, o risco está na fratura. Morder coisas duras aumenta as chances de perder os dentes precocemente. Fraturas ou perdas dentárias podem gerar disfunções importantes.

Fonte: Saúde Terra